Arautos de Suzano

A Jesus pelas mãos de Maria, com o Papa e os Arautos do Evangelho!

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Homila de Mons. João na Missa de Ação de Graças do dia 15 de agosto de 2017

Homila de Mons. João proferida na
missa do dia 15 de agosto

Publicada na Revisto ARAUTOS DO EVANGELHO, edição de Setembro 2017

Meus filhos e minhas filhas, tratando-se de um dia como este em que vos congregais para celebrar meu septuagésimo oitavo aniversário, pus-me a refletir sobre como iniciar as palavras que deveriam alegrar-vos e consolar este coração de Pai, que palpita de amor por vós, meus "enjolras"![1]

        Foi então que me recordei de um fato da vida de um santo prelado. Encontrava-se Santo Afonso Maria de Ligório, com seus mais de noventa anos de idade, recolhido no convento dos Padres Redentoristas de Pagani, Itália, quando lhe comunicaram que naquele dia seriam ordenados dois novos sacerdotes filhos seus. Entre eles estava uma alma que seria sustentáculo de sua família religiosa: São Clemente
Maria Hofbauer. Uma moção da graça levou Santo Afonso a dirigir-se à capela, recitando a seguinte oração: "Jesus, aceitai a minha vida por eles, ou antes, deixai-me rezar e sofrer ainda alguns anos pelos dois padres que hoje devem ser ordenados".[2] O santo fundador percebera não ser a vontade de Deus sua morte, mas a aceitação em vida dos tormentos que os Céus lhe enviassem para fortalecer e guiar aquelas duas almas ao cumprimento de sua alta missão.

        Chegando à idade de setenta e oito anos, este vosso Pai, à maneira do grande Santo Afonso, não deseja morrer para que a Santa Igreja triunfe, mas sente o Espírito Santo soprar-lhe ao coração: "João, quero mais de ti!" Essa moção da graça leva-me não a oferecer minha vida, encerrando-a agora, mas a oferecer os sofrimentos que a Divina Providência ainda me concederá, para que a Santa Igreja seja glorificada e cumpra sua missão de instaurar na terra o que a oração do Senhor repete dia a dia em nossos lábios: "Venha a nós o vosso Reino".

        Este Reino virá, o Senhor o prometeu e Nossa Senhora em Fátima bradou ao mundo inteiro: "Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!"

        Como será? Quando se dará? Deus o sabe e tem preparado a cada um de vós para seu triunfo, pois as trevas "não prevalecerão contra ela" (Mt 16, 18).

Quem ama a dor por amor ao Reino dos Céus tudo suportará

        Meus filhos e minhas filhas, após setenta e oito anos de uma vida dedicada em prol da Santa Igreja, posso dizer-vos, unindo minha voz à do Eclesiástico: Meu filho, se entraste para o serviço de Deus, atenção, prepara a tua alma para a provação (cf. Eclo 2, 1).

        A vida humana é uma luta. Somente aqueles que abraçarem as veredas da sabedoria serão capazes de suportar os sofrimentos que Deus nos envia para purificar nossa alma no cadinho da provação. Por isso, meus filhos e minhas filhas, o Divino Mestre nos ensina: "Quem não toma a sua cruz e não Me segue, não é digno de Mim" (Mt 10, 38).

        Este Pai, que outra coisa não faz senão amar-vos, deseja formar-vos e preparar-vos para o Reino dos Céus, pois somente quem estiver disposto a sofrer comigo, Pai e fundador desta família espiritual, estará disposto a suportar as provas e as dores por amor ao Paraíso.

        Vejo muitos que se perguntam como perseverar. É simples, meus filhos: quem ama a vida eterna é como o comprador que encontrou um tesouro escondido num campo. Ele vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo para alcançar um tesouro eterno. Quem assim agir, a vida eterna encontrou (cf. Mt 13, 44). Por essa razão vos alerto: quem comigo não ajunta, espalha (cf. Mt 12, 30), pois "quem ama o perigo nele perecerá" (Eclo 3, 27).

        Aquele que nos congregou e nos formou sempre nos ensinou que o homem que ama a dor e o sofrimento está disposto a tudo para a maior glória de Deus. É o que vos digo, meus filhos: quem ama a dor por amor aoReino dos Céus, tudo suportará.

Impossível é desertar de uma vocação tão elevada

        Quem quiser seguir-me, repito com o Divino Redentor, tome sua cruz e siga-me! Apenas assim poderemos fazer jus ao nosso nome glorioso de cristãos, como tão bem nos recorda a Carta a Diogneto, que descreve o caminho dos eleitos nesta terra:

        "São de carne, porém, não vivem segundo a carne. Moram na terra, mas sua cidade é no Céu. Obedecem às leis estabelecidas, mas com seu gênero de vida superam as leis. Amam a todos e por todos são perseguidos. Condenam-nos sem os conhecerem; entregues à morte, dão a vida. São pobres, mas enriquecem a muitos; tudo lhes falta e vivem na abundância. São desprezados, mas no meio dos opróbrios enchem-se de glória. São caluniados, mas transparece o testemunho de sua justiça. Amaldiçoam-nos e eles abençoam. Sofrem afrontas e pagam com honras. Praticam o bem e são castigados como malfeitores. Ao serem punidos, alegram-se como se lhes dessem a vida. Os judeus fazem-lhes guerra como a estrangeiros e os pagãos os perseguem, mas nenhum daqueles que os odeiam sabe dizer a causa do seu ódio. […] Os cristãos, constantemente mortificados, veem seu número crescer dia a dia. Deus os colocou em posição tão elevada que lhes é impossível desertar".[3]

        Meus filhos, Nossa Senhora chamou-nos a vocação tão alta que nos é impossível desertar. Se A víssemos, o que nos diria Ela? "Meus filhos, vos escolhi do mundo para serdes meus, para servirdes o meu Reino nesta terra e glorificar-Me nos Céus. Se vós soubésseis o que vos aguarda por servir-Me, ser-vos-ia impossível viver mais nesta terra, desejaríeis voar ao meu Reino eterno".

"O justo viverá pela fé"

        Como não nos comover se a Santíssima Virgem Maria nos dirigisse tais palavras de afeto e de amor? E isso, meus filhos, Ela nos diz no mais profundo de nossos corações: "Meu filho, persevera, o meu Reino é vosso para sempre!"

        Meus filhos, neste dia em que a Santa Igreja universal comemora a Assunção de Maria Santíssima aos Céus e que vós vos reunis aqui para prestar vossas homenagens a este Pai que vos ama e vive para vos servir, gostaria de dizer-vos com o Apóstolo São Paulo: "O justo viverá pela fé!" (Gal 3, 11).

        As batalhas que nos aguardam são grandiosas, delas dependerá nossa entrada no Céu, por isso perseverai, meus filhos, perseverai em vossa luta, perseverai em vossa virtude, perseverai em vossa santidade. Pois Nosso Senhor nos chama às provas que nos conduzirão ao Paraíso: "No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo" (Jo 16, 33).

Vosso Pai se consome de zelo pelo Reino de Maria

        Como se dará e quando virá? Não sei! Este vosso Pai sente-se como Elias no alto da montanha esperando o Senhor passar (cf. I Rs 19, 8-14): virá um vento impetuoso e violento que fenderá as montanhas e quebrará os rochedos, mas o Senhor não estará nesse vento. Depois do vento a terra tremerá, mas o Senhor não Se encontrará no tremor de terra. Passado o tremor de terra, se acenderá um fogo, mas o Senhor não estará no fogo. Por fim, depois do fogo se ouvirá o murmúrio de uma brisa ligeira que me inspirará: "João, cubra o rosto com teu manto, pois chegaste diante de Deus". Nesse momento, o Senhor me dirá:

        "Que fazes aqui, João?"

        Com a alma cumulada por suas graças, vosso Pai responderá: "Eu me consumo de zelo pelo Senhor, Deus dos exércitos. Porque abandonaram a vossa aliança, derrubaram os vossos altares e passaram os vossos profetas ao fio da espada. Só eu fiquei, e agora querem tirar-me a vida" (I Rs 19, 14).

        Meus filhos, as provas virão, será dura nossa luta, mas o murmúrio suave de uma brisa celeste trará à humanidade os frutos do Sangue preciosíssimo do Redentor, que renovará o universo, fazendo baixar à terra o Reino de Maria.

        Foram essas as palavras saídas do coração do vosso Pai, que hoje se regozija convosco por mais um ano de vida, um ano de luta, um ano de vitória! ²


Homilia pronunciada no dia 15/8/2017
na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, Caieiras (SP)

________________________________

[1] No convívio entre os membros dos Arautos do Evangelho, os mais novos são chamados de "enjolras", termo cunhado afetuosamente por Dr. Plinio Corrêa de Oliveira.

[2] HÜNERMANN, Janssen. São Clemente Maria: Vanguardeiro da Congregação Redentorista. Petrópolis: Vozes, 1953, p.71.

[3] CARTA A DIOGNETO. In: COMISSÃO EPISCOPAL DE TEXTOS LITÚRGICOS. Liturgia das Horas. Petrópolis: Vozes; Paulinas; Paulus; Ave-Maria, 2000, v.II, p.757-758.

Primeiro Sábado de Setembro na Catedral da Sé, em São Paulo

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Salvador da Bahia: Dom Estevam presidiu Missa na Solenidade da Assunção


http://arquidiocesesalvador.org.br/site/?p=50462

Dom Estevam presidiu Missa na Solenidade da Assunção de Nossa Senhora


No domingo (20), Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, os Arautos do Evangelho receberam em sua sede a visita do bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Estevam dos Santos Silva Filho, que celebrou para a comunidade da quase paróquia Santo Agostinho, em Areia Branca. A  Missa foi concelebrada pelo administrador paroquial, padre José Maria Casaes Martins, da Ordem Premonstratense, com a  presença de cerca de  200 fiéis que faziam retiro, tendo em vista a festa do padroeiro.
Em sua homilia, Dom Estevam ressaltou a importância de Nossa Senhora na vida de Nosso Senhor e sua Assunção aos Céus em corpo e alma.

Assunção de Nossa Senhora em Areia Branca (12)

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Faleceu ontem Domingo 3 de setembro o Padre Atillio Bertha

Nossa Diocese | Nota de falecimento - Pe. Atillio Berta
Nota de falecimento - Pe. Atillio Berta
.
Com muito pesar, comunicamos o falecimento do Revdo. Pe. Atillio Berta neste domingo, dia 03 de setembro, aos 86 anos; italiano da Diocese de Cremona, e presbítero residente na Diocese de Mogi das Cruzes, onde era responsável pela Igreja Maria Mãe do Divino Amor, em Mogi das Cruzes. Chegou ao Brasil em 1971.
.
O velório acontece na Igreja Maria Mãe do Divino Amor. A missa exequial será às 14h30 desta segunda-feira, dia 04 de setembro, no mesmo local, presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Pedro Luiz Stringhini. O translado sai às 16h para o sepultamento no Cemitério da Saudade, em Mogi das Cruzes.
.
.Às 11h, missa exequial presidida pelo Pe. Antonio Robson Gonçalves, MSJ, vigário geral da Diocese.
.
Nos unimos em oração pelo descanso eterno do nosso querido e já saudoso, Pe. Atillio Berta.
.
.
Igreja Maria Mãe do Divino Amor
Rua Antonio Fernandes, 90 - Vila Ressaca - Mogi das Cruzes/SP
Tel: (11) 4796-6045
.
Cemitério Municipal da Saudade
Rua Capitão Joaquim de Mello Freire, 900 - Vila Victória.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

MENSAGEM DE MONS. JOÃO CLÁ DIAS



MENSAGEM DE MONS. JOÃO
POR OCASIÃO DO PRIMEIRO SÁBADO
NA CATEDRAL DA SÉ – 5 agosto 2017
Comemoramos hoje o centenário da quarta aparição de Nossa Senhora em Fátima, onde ela previu grandes acontecimentos para a Igreja e para o mundo, que marcariam a História da humanidade com amargos sofrimentos e com a esplendorosa vitória do Sapiencial e Imaculado Coração de Maria.
O que pensar a respeito das profecias de Fátima ao contemplarmos esta Catedral repleta de pessoas, consagradas e leigas, que a ela acorrem para a prática da devoção do Primeiro Sábado? Vemos aqui o cumprimento, perene e inalterável, da promessa de Nosso Senhor à sua Igreja: "As portas do inferno não prevalecerão contra ela". Quem ousaria imaginar, no ano de 1917, que a realização das profecias da Mãe de Deus em Fátima se daria no longínquo e inexpressivo Brasil? Ao término desta cerimônia, quem poderia negar que o público que dela participou representa uma porção muito eleita da Igreja do Brasil de agora e, sobretudo, do futuro?
Pensamentos como estes são a minha grande consolação, a mim que estou retirado a fim de rezar por todos e cada um de vós, pois, apesar de não poder estar fisicamente presente, peço a Maria Santíssima a graça de estar junto ao coração de cada um.
Tive conhecimento de que esta cerimônia foi realizada também para homenagear-me pelo meu septuagésimo oitavo aniversário. Agradeço a todos esta bondade e peço que continuem a rezar por mim, que não quero outra coisa senão ser fiel à Igreja, de acordo com o que me ensinou meu mestre e pai espiritual, Plinio Corrêa de Oliveira, resistindo, sem temor nem dúvida, qualquer obstáculo, a fim de fazer bem às almas e exaltar nossa Mãe e Rainha, Maria Santíssima.
A vós todos, assim como à minha obra dos Arautos do Evangelho, que me acompanhastes ao longo destes anos de serviço desinteressado a Nosso Senhor Jesus Cristo, que compreendestes o carisma e a espiritualidade que nos foram concedidos por Deus, e que vos dispusestes a lutar conosco pelo advento do Reino de Maria, desejo as mais copiosas graças para prosseguirdes, junto conosco, o caminho que nos levará ao triunfo de Cristo e de sua Mãe Santíssima.
Amém! Amém! Amém!

Recomendações aos Sacerdotes

Carta do Cardeal de Brasilia aos bispos e presbíteros

O sacerdócio ministerial não é um simples serviço prestado, por mais generoso e sincero que seja. O sacerdote não é um funcionário de uma instituição, mas servidor da Igreja. Celebra porque sabe da importância da Eucaristia. Celebra a Eucaristia e dela vive porque experimenta a sua força na própria vida e ministério. Por isso, celebra cotidianamente como graça, como dom sublime, e não apenas como serviço pastoral.

Para que a vida toda seja sacerdotal, é fundamental que o sacerdócio tenha a sua fonte no altar, de tal modo que a liturgia seja a fonte e o ápice da própria vida e missão. Por isso, não há férias no âmbito da oração e da celebração eucarística; ao contrário, em férias, há mais tempo para dedicar-se a oração, a escuta da Palavra, a adoração e a celebração eucarística.
 

Além das férias, o repouso semanal também é necessário, porém ele se refere a atividades pastorais habituais e não à vida espiritual. Para tanto, é importante programar o dia de repouso de atividades pastorais cotidianas ou tempo de férias, não se esquecendo da importância da celebração eucarística para si e para a comunidade. Não se pode estabelecer "segunda sem eucaristia" ou "segunda sem oração". Não se deixa de ser sacerdote ou de ser cristão em dia de descanso, de viagem ou em período de férias. Recordemos que não há verdadeiro repouso sem Deus, conforme rezamos cotidianamente na Liturgia das Horas, com o Salmo 94. Ao contrário, o pecado ou a negligência na vida espiritual provocam danos de cunho psicológico e espiritual, enfraquecem e levam a perda de sentido.

Quem não se alimenta, acaba anêmico e enfraquecido. Quem não se alimenta espiritualmente, torna- se fragilizado, perdendo o sentido e a força para caminhar. Quem se alimenta da oração, da Palavra e da Eucaristia, vai sendo transformado no homem novo, homem espiritual, rumo à plenitude, deixando para trás o homem velho, o homem carnal. Quem se alimenta de uma vida mundana, isto é, de alimento estragado, vai se tornando espiritualmente fraco e enfermo, incapaz de enfrentar os desafios e tentações. Em nosso tempo, difunde-se a tendência em sobrevalorizar as academias de malhação do corpo, em detrimento dos exercícios espirituais. É justo cuidar da saúde, mas é lamentável deixar-se levar pela ditadura da beleza corporal, que tem trazido frustração para muita gente, muitos dos quais adolescentes e jovens em busca de um corpo idealizado por meios de comunicação.

A capela do Santíssimo é a academia em que nos exercitamos diariamente para seguir adiante com maior vigor humano, cristão e sacerdotal. Ninguém se acomode ao pecado, ninguém adote um estilo de vida mundano, que além de destruir e fragilizar o sacerdote pode destruir a comunidade. Vida dupla faz mal psicologicamente e espiritualmente e, mais cedo ou mais tarde, escandaliza as pessoas e fere a Igreja. Estamos numa época em que se está perdendo o pudor, que o nosso povo costuma chamar de "vergonha na cara", que é próprio do ser humano. Quem é gente, quem é cristão, é capaz de sentir pudor.

Lamentavelmente os graves casos de corrupção no Brasil acabam levando as pessoas a acharem que "pequenos" atos de corrupção, de infidelidade e de desonestidade, no dia a dia, nada significam moralmente. A referência para o nosso agir moral não são os políticos corruptos, mas os santos que marcam o ontem e o hoje da Igreja.

Além disso, há atitudes que não representam propriamente pecados, mas que não são convenientes para um sacerdote. Paulo, na Primeira Carta aos Coríntios (1Cor 8,1-13), falando a respeito das carnes sacrificadas aos ídolos, declara que jamais comeria carne se isso fosse motivo de escândalo para a comunidade. Não se pode ser mais ou menos cristão. Somos chamados a ser cristãos e sacerdotes por inteiro, o tempo todo. A mediocridade impede a experiência da vida nova que traz alegria, do prazer que perdura, ao invés do prazer efêmero que não preenche, mas aprofunda o vazio existencial.

Entretanto, temos muitos motivos para louvar a Deus por tantos cristãos e, de
modo especial, por tantos sacerdotes que estão buscando a santidade. Por isso, quero reafirmar a minha sincera gratidão e admiração pelos esforços que são feitos, a cada dia, por tantos sacerdotes. Obrigado por se padre e pelo seu esforço em ser padre por inteiro. Obrigado, pelo seu generoso empenho em seguir adiante, com os olhos fixos em Jesus, confiando sempre na graça de Deus.


Dom Sergio da RochaCardeal Arcebispo de Brasília

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

13º. Congresso Internacional dos Cooperadores dos Arautos do Evangelho

13º. Congresso Internacional

dos Cooperadores dos Arautos do Evangelho

Por Católica Conect -
No último final de semana do mês de Julho, os Cooperadores dos Arautos do Evangelho, também conhecidos como Terciários, foram surpreendidos pela pergunta: São José: Quem o conhece?
Certamente, todos os que tiveram a graça de participar do 13º. Congresso Internacional dos Cooperadores dos Arautos do Evangelho, realizado no Seminário Arautos do Evangelho – Thabor, localizado na Serra da Cantareira, em cujo complexo também se encontra a Basílica Menor Nossa Senhora do Rosário – todos responderiam de forma muito tímida em relação a seu próprio conhecimento a respeito das grandezas da Vocação do Patriarca da Santa Igreja e pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso São José! De fato, após as brilhantes e entusiásticas exposições que tiveram lugar no Congresso, esse conhecimento foi aumentado exponencialmente.
Salve Maria!
Foi um fim de semana inesquecível! É incrível como os Arautos do Evangelho conseguem se superar a cada Congresso!Fiquei com as palmas de minhas mãos inchadas de tanto aplaudir as exposições dos Padres Arautos sobre a vida de São José. Só mesmo uma pessoa dedicada à santidade para nos proporcionar dias tão maravilhosos como estes! Se o Monsenhor aparecesse naquele momento cairia de joelhos em sua presença, pois como aconteceu com São João Maria Vianey, veria "Deus num homem"!
Concordo plenamente, sr. Valter. A emoção de participar deste Congresso é indescritível! Celebrações Eucarísticas com zêlo, devoção e sacralidade. Tudo parecia perfeito, desde as homílias muito bem desenvolvidas quanto a marcha dos acólitos que assistiam aos sacerdotes. A ordem do universo estava ali muito bem representada.
Em Jesus, Maria e José!
Rubens


  • Salve Maria!
    Que doce convívio! Foi como desfrutar de um pedacinho do Céu!


  • Salve Maria!
    Participando deste Congresso compreendi melhor o que os Santos e Santas da Igreja sentiam quando estavam em êxtase e levitavam. Havia momentos em que me sentia assim.

    domingo, 16 de julho de 2017

    Virgem do Escapulário, protegei-nos!




    NOVO LIVRO: São José: Quem o conhece?, por Mons. João Clá

    São José: Quem o conhece?...

    Ao entrar no mundo, o Menino Jesus já estava amparado pelo afeto da melhor das mães, Maria Santíssima. Mas para custodiá-Lo e defendê-Lo de todos os perigos um só homem foi escolhido: São José, a quem o próprio Padre Eterno elegeu para ser, nesta terra, o pai virginal de seu Filho. Tal proximidade com Deus feito Homem permitiu-lhe beneficiar-se como ninguém, depois de Nossa Senhora, dos efeitos da Encarnação, tendo sido santificado de modo superabundante por esse Divino Infante que o chamaria de pai.

    Entretanto, ao longo de diversos estudos sobre São José, Mons. João Scognamiglio Clá Dias deu-se conta de quão desconhecido é esse extraordinário Santo, surgindo em seu interior o veemente desejo de escrever um livro a fim de compor sua autêntica fisionomia moral e conduzir os filhos da Santa Igreja a essa sublime devoção, sinal de predileção e via segura para os braços maternais de Maria Santíssima. Eis que agora ele oferece o fruto de sua piedade e de sua contemplação.

    Nesta obra procura-se aliar a sólida doutrina, exposta de forma fundamentada, clara e ortodoxa, a uma leitura amena, mas útil para cultivar importantes aspectos de nossa Fé. Espera-se, assim, mover os espíritos à degustação sobrenatural dos mistérios e das virtudes de São José.

    De fato, muitas verdades ainda não manifestadas sobre o glorioso Patriarca devem ser proclamadas do alto dos telhados, para deixar patente a grandeza oculta desse varão. Tanto mais que, nesta hora de crise e de tragédia na qual se encontra o mundo e a Igreja, sua figura há de tomar um realce providencial. O casto esposo de Maria aparecerá em todo o seu esplendor, como nunca antes na História, para que os fiéis recorram a ele enquanto insigne defensor dos bons.

    * * * * * * * * * * *

    Os livros poderão ser divulgados por um preço unificado para todo o Brasil: R$ 20,00.

    --> -->

    sábado, 8 de julho de 2017

    Nossa Senhora de Fátima em Braz Cubas

    Festa do Divino Espírito Santo na Paróquia de Braz Cubas, Mogi das Cruzes

    Mogi das Cruzes, SP – Distrito de Braz Cubas – Sábado, 8 de julho de 2017
    Durante a Novena ao Divino Espírito Santo celebrada na Paróquia de Nossa Senhora Aparecida e São Roque, no día sábado 8 de julho foi realizada a "Entrada dos Palmitos", tradicional lembrança da chegada dos produtos do Campo à Cidade.
    As Pastorais da Paróquia desfilaram também neste dia de festa.
    Os Arautos do Evangelho estiveram presentes com a Imagem Peregrina do Imaculado Coração de Maria de Fátima.
    O Pároco, Rvdo. Padre Francisco Deragil participou neste belo desfile pelas ruas do Distrito de Braz Cubas.